[Reflexões na Pandemia] Dos gestos (e imagens) necessários à afirmação da vida: Cultura política, práticas de memória e pandemia

Autora: Fabiana A. A. Jardim “Se o enfrentamento dos repetidos eventos violentos, a despeito de suas profundas diferenças, produziu um repertório de gestos e imagens memoriais, como fazer uso deles para atender ao já consolidado dever de memória, mas insistindo na possibilidade — projetada sobre o ato público de lembrar — de que contribuam para interromper as variadas violências que agora se combinam na produção de uma escala tão imensa de mortes, boa parte delas evitáveis?” Acesse aqui

0 Comentários

[Boletim] Memória e Sofrimento

Vittorio da Gamma Talone, pesquisador de pós-doutorado do Necvu IFCS UFRJ e do PPGSA/UFRJ, foi agraciado com o 2º lugar no concurso de Melhor Tese de Doutorado Defendida em 2020 na área de Sociologia no Instituto de Estudos Sociais e Políticos (Iesp-Uerj). Seu trabalho, intitulado “A força da memória: Lembranças de situações de sofrimento, tensão e morte”, foi o último orientado pelo saudoso Luiz Antônio Machado da Silva, tendo sido coorientado por Alexandre Werneck (PPGSA/UFRJ).

0 Comentários

[Reflexões na Pandemia] Chamada à reflexão e ao debate

Mais de um ano depois da chegada do novo coronavírus no Brasil, vivemos o pior momento da pandemia: recordes de contágios e óbitos, sistemas de saúde colapsados, escassez de vacinas, além de uma profunda derrocada econômica e de uma cada vez mais grave crise ética e política, corroendo de alto a baixo nosso tecido social. É urgente refletirmos coletivamente sobre essa trágica conjuntura, em suas múltiplas facetas. Por isso convidamos professores e pesquisadores, das ciências sociais e áreas afins, a enviarem suas contribuições para a nossa seção extraordinária “Reflexões na Pandemia” da Dilemas – Revista de Estudos do Conflito e…

0 Comentários

[Reflexões na Pandemia] Sujeição sanitária e cidadania vertical: Analogias entre as políticas públicas de extermínio na segurança pública e na saúde pública no Brasil de hoje

Confira “Sujeição sanitária e cidadania vertical: Analogias entre as políticas públicas de extermínio na segurança pública e na saúde pública no Brasil de hoje”, de Roberto Kant de Lima, professor titular aposentado, professor permanente do PPGA e do PPGJS, da UFF, e professor do PPGD da UVA, e Marcelo da Silveira Campos, professor de sociologia da UFGD e professor convidado da Faculdade de Medicina da USP. “É nessa naturalização da desigualdade jurídica entre os cidadãos brasileiros, que resulta em ênfase nos mecanismos repressivos de controle social, que, com a pandemia de Covid-19, as políticas públicas de segurança pública e de…

0 Comentários

[2020] Judicialização do sofrimento negro. Maternidade negra e fluxo do Sistema de Justiça Criminal no Rio de Janeiro

Autora: Luciane O. Rocha Este artigo é baseado em etnografia realizada entre os anos de 2015 e 2017 no Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Pública do Rio de Janeiro (NUDEDH), mais especificamente no programa de Proteção às Vítimas de Violência Praticada por Agentes Estatais ou Particulares. No contexto de antinegritude vigente no Rio de Janeiro, esta linha de atuação do NUDEDH se tornou uma ferramenta utilizada por mães de vítimas de violência policial em favelas e periferias, que passam a atuar como assistentes de acusação nos processos penais dos assassinatos de seus filhos e filhas. Este artigo, ao mobilizar…

0 Comentários

[2006] Penas e Alternativas: Um estudo sociológico dos processos de agravamento das penas e de despenalização no sistema de criminalização brasileiro (1984-2004)

Autora: NALAYNE MENDONÇA PINTO Este trabalho tem como questão principal o dilema contemporâneo entre demandas despenalizantes e penalizantes na sociedade brasileira. O objetivo é analisar a construção dos fatos e discursos que produziram alterações nas leis penais brasileiras nos últimos anos. A pesquisa destaca as alterações realizadas no sistema penal vigente no Brasil a partir da promulgação de leis de endurecimento penal ou que aumentam os tipos penais, produzindo um direito penal de emergência a fim de atender o “clamor público” de combate à violência. Em outro sentido, aponta a introdução, na legislação penal, de tendências internacionais que sugerem a…

0 Comentários

[2010] COMO SE CONTAM CRIMES: um estudo sobre a construção social do crime no Brasil e na França

Autora: VÍVIAN FERREIRA PAES Este trabalho tem por objetivo analisar como alguns fatos sociais qualificados por uma legislação como crimes, requerem intervenções e são enunciados, traduzidos e administrados pelas instituições de segurança e justiça no Brasil e na França. Para analisar esses pontos, eu dirigi meu olhar para o papel das instituições que trabalham no início do tratamento jurídico desses fatos: a polícia judiciária, o Ministério Público e o juiz de instrução (o último é tratado, em especial, no caso francês). Essas instituições são responsáveis por formalizar a atribuição da qualidade criminal a um fato. Ao fazer isso, elas fazem…

0 Comentários

[2013] POLÍTICAS SOCIAIS EM TERRITÓRIOS PACIFICADOS

Autor: Daniel Ganem Misse Observa-se o processo de pacificação das favelas cariocas através do estudo da efetividade das políticas públicas. Levanta-se como questão central de pesquisa a falta de direcionamento das políticas sociais nos territórios com UPP, bem como a sua influência no plano de governo, capacidade de governo e governabilidade. Para compreender a questão da construção da política pública na favela, trabalha com os conceitos de eficácia coletiva, capital social, teoria das janelas quebradas, governança, accountability, familismo amoral, homem cordial, sujeição criminal e mercadoriaspolíticas. O estudo dos programas de gestão social nos territórios pacificados UPP Social e Territórios da…

0 Comentários

[2016] E. P THOMPSON E EXTERMINISMO: ESTRATÉGIA PACIFISTA E LUTA

Autor: Ricardo G. Müller Percebendo a existência de “uma dinâmica interna e de uma lógica recíproca que requerem uma nova categoria de análise”, E. P. Thompson elabora o conceito de exterminismo, para definir e examinar essa nova realidade, esta época histórica de confronto nuclear. Em termos teóricos, o aspecto mais controverso da interpretação de Thompson sobre a Guerra Fria, e em relação a essa proposta, é sua abordagem do conceito de luta de classe e sua restrição às noções de imperialismo e militarismo. O artigo procura discutir a importância dessas ideias e localizar sua atualidade e relevância.Palavras-chave: Exterminismo; Realismo; Pacifismo.…

0 Comentários