[2020] Judicialização do sofrimento negro. Maternidade negra e fluxo do Sistema de Justiça Criminal no Rio de Janeiro

Autora: Luciane O. Rocha Este artigo é baseado em etnografia realizada entre os anos de 2015 e 2017 no Núcleo de Direitos Humanos da Defensoria Pública do Rio de Janeiro (NUDEDH), mais especificamente no programa de Proteção às Vítimas de Violência Praticada por Agentes Estatais ou Particulares. No contexto de antinegritude vigente no Rio de Janeiro, esta linha de atuação do NUDEDH se tornou uma ferramenta utilizada por mães de vítimas de violência policial em favelas e periferias, que passam a atuar como assistentes de acusação nos processos penais dos assassinatos de seus filhos e filhas. Este artigo, ao mobilizar…

0 Comentários

[2020] EPISTEMOPOLÍTICAS DO DISPOSITIVO CARCERÁRIO PAULISTA: refletindo sobre experiências de pesquisa-intervenção junto à Pastoral Carcerária

Autores: Rafael Godoi, Marcelo da Silveira Campos, Fábio Mallart, Ricardo Campello O artigo tem por objetivo refletir sobre as potencialidades críticas e heurísticas da pesquisa sociológica sobre o dispositivo carcerário paulista, levada a cabo através do engajamento dos pesquisadores em coletivos e atividades da Pastoral Carcerária. As dimensões astronômicas do sistema carcerário paulista ; sua notável centralidade nos mecanismos de gestão do conflito que garantem a (re)produção da cidade contemporânea ; bem como as várias dificuldades impostas pela administração penitenciária no local ao escrutínio público do ambiente carcerário em geral, e à prática da pesquisa científica em particular, são as…

0 Comentários

[2020] El/la antropólogo/a en la aldea de la Mediación de conflictos. Un aporte para la problematización de las relaciones entre Estado, mediación de conflictos y Antropología

Autores: Mariana Inés Godoy, Juan Pablo Matta y Kátia Sento Sé Mello En el presente artículo nos proponemos reflexionar sobre la mediación de conflictos en su vinculación compleja con la dimensión de lo estatal y específicamente con el campo estatal de la administración de conflictos. Para ello recuperaremos tres experiencias de investigación etnográfica desarrolladas durante los últimos años por los autores en distintos contextos (Rio de Janeiro en comparación con la ciudad de Buenos Aires, Salta y Olavarría). Lo que se denomina movimiento de mediación supone una articulación singular entre organismos judiciales, gubernamentales de distinta escala, el mundo de las…

0 Comentários

[2020] ‘Evite aglomerações!’: Pandemia e novos ordenamentos de interação em filas de espera

Autor: Ailton Gualande Junior Desde o final de fevereiro, quando o primeiro caso de Covid-19 foi confirmado no Brasil, lidamos com a veiculação diária e volumosa de informações sobre a doença. Dados estatísticos referentes à evolução de contaminações e de mortes causadas pelo novo vírus chegam a nossas casas por meio do jornalismo...

0 Comentários