[2017] Da pena ao problema público das altas taxas de homicídio

Autor: Marco Aurélio Borges Costa A hipótese que exploro neste do trabalho é uma provocação dos limites nos quais o assassinato se torna efetivamente um motivo de preocupação pública para a sociedade brasileira, diante de quadros concorrentes de indignação, pena e tolerância. Tendo em vista que o assassinato, não obstante o aumento de sua frequência nos últimos anos nunca foi um fato incomum no Brasil, foram investigados documentos históricos com oobjetivo de identificar a transformação dos homicídios de um problema particular, moral, para um problema público; a passagem de um processo de alienação genérica para alienações específicas; do sentimento de pena para o sentimento de indignação. Acesse aqui

0 Comentários

[2017] “Tem que priorizar a segurança”: Legitimação do Estado Penal e marginalização da socioeducação em uma instituição de internação para adolescentes no Brasil.

Autora: Juliana Vinuto A partir de resultados parciais de uma pesquisa de doutorado em andamento, objetiva-se problematizar como ocorre o processo de legitimação do Estado Penal em uma instituição de medidas socioeducativas de internação no estado do Rio de Janeiro (Brasil). Segundo a lei brasileira, as medidas socioeducativas devem ter um objetivo punitivo e pedagógico frente a adolescentes rotulados como em conflito com a lei. Assim, se apresentará a experiência de trabalho dos agentes socioeducativos, olhando tais profissionais como burocratas de nível de rua que trabalham em uma instituição de privação de liberdade para adolescentes em conflito com a lei, a fim de compreender como o duplo objetivo de punir e educar é colocado em prática durante o processo de implementação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Baseada em etnografia…

0 Comentários